Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Cevada: mais de R$ 4,5 milhões em indenização

14/05/2020

Cevada: mais de R$ 4,5 milhões em indenização
Na área da Cotrijal, seguro Qualidade da cevada beneficiou todos os produtores que contrataram o produto na safra 2019 (Clique para ver mais imagens)
Adilson De Valle, de Quatro Irmãos, contratou o seguro no inverno e já garantiu para esta safra

Reduzir as incertezas que envolvem as culturas de inverno é um dos grandes desafios dos produtores, principalmente quando se trata do clima. O seguro agrícola é a principal ferramenta para fazer frente a essa questão. 

A forma antecipada como a Cotrijal trabalha tem estimulado os produtores a contratarem o seguro. A cooperativa facilita o acesso a essa ferramenta e à subvenção federal, reduzindo o desembolso do produtor. Outra grande vantagem, são as opções personalizadas como o seguro Qualidade cevada. 

Na safra passada, mais uma vez ficou provada a importância do produtor ficar atento a isso. O excesso de chuvas na colheita causou estragos em muitas áreas de inverno. A decisão de contratar o seguro agrícola da cevada livrou os produtores da cooperativa de uma frustração ainda maior. 

Houve sinistro em mais de 6,5 mil hectares, sendo mais de R$ 4,5 milhões em indenização, somente na cultura da cevada. Foi o caso do agricultor Adilson De Valle, de Quatro Irmãos, cliente da Unidade de Negócios da Cotrijal de Estação. Ele contratou o seguro Qualidade cevada e garante que foi a salvação da lavoura. 

“O início da colheita, em outubro, começou bem. Quando intensificou a chuva, em novembro,  perdemos em qualidade. Com o seguro consegui cobrir os custos de produção. Não fosse isso, o prejuízo teria sido grande”, comenta o produtor.

Ele vem intensificando o plantio do cereal e incentiva outros agricultores a protegerem a produção. “As culturas de inverno são muito importantes. Pela palhada e retorno financeiro quando o clima colabora”, justifica De Valle, um dos primeiros a aderir ao seguro Qualidade cevada na região.

Precavido, este ano, vai segurar 63% da área de cevada - 100 hectares - contra perdas advindas de geada e granizo e também relacionados à qualidade do grão. A área restante, como é financiada, tem a cobertura do Proagro. “Hoje, com o custo que temos nas nossas lavouras, não tem como deixar desprotegido”, acrescenta. A propriedade dos De Valle é atendida pelo engenheiro agrônomo Ricardo Cansi.

 

Mais segurança

“Em culturas como a cevada, o produtor que não alcança a qualificação cervejeira acaba perdendo no preço. Com o seguro, consegue trabalhar mais tranquilo”, frisa o gerente das Unidades de Negócios da Cotrijal de Estação, Capo Erê e Sertão, Josmar Diefenthaeler.

Esse é o segundo ano que a Cotrijal trabalha com o seguro Qualidade cevada. “Quanto mais cedo o produtor contratar a apólice do seguro, mais chance terá de ser beneficiado com subvenção federal, impactando diretamente no custo do seguro para o agricultor”, reforça o analista de Seguros da Cotrijal, Tiago Mendes. Ele lembra que o prazo para contratar o seguro agrícola para essa safra de inverno vai até a primeira quinzena de julho. 

O superintendente Administrativo-Financeiro, Marcelo Ivan Schwalbert, explica que a Cotrijal vem trabalhando forte, nos últimos cinco anos, em programa de seguro agrícola para todas as culturas, com um crescimento de mais de 25% ao ano.

“Mostra que o produtor está cada vez mais consciente da importância de proteger a sua lavoura. Acabamos de passar por uma estiagem severa no RS e o impacto positivo do seguro na soja ainda está sendo contabilizado, mas deverá dar um alento aos produtores afetados pela falta de chuvas”, afirmou. 

 

Fique atento!
- Subvenção - Quanto mais cedo contratar o seguro, mais chances o produtor terá de acesso à subvenção
- O prazo limite para a contratação do Cotrijal Seguros para o inverno vai até a primeira quinzena de julho


Números 2019
- 12.665 hectares contratados, tanto de trigo quanto de cevada
- R$ 972.325,56 em subvenção

 

Safra 2020/21

Com a frustração da safra de verão no Estado, em especial, na área da Cotrijal, a tendência é que ocorra um aumento significativo dos contratos de seguro agrícola. “A tendência é o produtor ficar ainda mais receptivo e atento a esse ponto e inclua já no planejamento da safra de verão o seguro agrícola”, afirma Schwalbert. 

O prazo para encaminhar propostas de seguro para a safra 2020/21 vai até novembro, sujeito a alterações. Para 2020, o Ministério da Agricultura destinou R$1 bilhão para o seguro agrícola.

?Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal


Cevada: mais de R$ 4,5 milhões em indenização Adilson De Valle, de Quatro Irmãos, contratou o seguro no inverno e já garantiu para esta safra