Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Seminário debate rotação de culturas e manejo conservacionista

Seminário debate rotação de culturas e manejo conservacionista
Cotrijal reuniu produtores para debater a importância da rotação de culturas e do manejo conservacionista (Clique para ver mais imagens)
Cerca de 100 produtores assistiram a palestra técnica Antônio Luis Santi falou sobre a importância da rotação de culturas Leonardo Junho Sologuren fez uma palestra abordando questões mercadológicas Gerente de produção Vegetal da Cotrijal, Juliano Tiago Recalcatti Ciente da importância do tema, Rogério Pacheco, de Carazinho, fez questão de participar do seminário

Para debater o desafio de manter o solo coberto o ano todo, a Cotrijal, em parceria com a Corteva, reuniu 100 produtores para palestra técnica, na manhã desta quinta-feira (10), no Parque da Expodireto, em Não-Me-Toque. Um dos palestrantes, o engenheiro agrônomo e professor da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Antônio Luis Santi, falou sobre a importância da rotação de culturas como estratégia de reconstrução do sistema plantio direto e melhoria da produtividade dos cultivos.

"O produtor precisa repensar o plantio direto. Tivemos avanços e as produtividades estão aí para provar, mas podemos melhorar para garantir mais estabilidade de produção, principalmente nos anos de problemas climáticos", apontou. Para Santi, a integração das plantas de cobertura nesse sentido é fundamental. 

"É importante pensarmos a cobertura do solo o ano todo, envolvendo plantas no outono e inverno que vão adicionar mais carbono ao solo, proporcionando maior armazenamento e diminuindo a perda de água. Isso traz maior produtividade", aconselhou Santi. 

Construindo estratégias com o produtor – O gerente de produção Vegetal da Cotrijal, Juliano Tiago Recalcatti, lembrou que a Cotrijal busca construir estratégias para que o produtor alcance um sistema de produção mais sustentável. "Hoje vemos muitas áreas enfrentando problemas, que poderiam ser minimizados com a rotação de culturas e manejo conservacionista. O nosso trabalho é para que o produtor tenha altas produtividades e tranquilidade mesmo em ano de clima atípico", enfatizou.

Ciente da importância do tema, o produtor Rogério Pacheco, de Carazinho, fez questão de participar do seminário. Para garantir produtividade, ele segue à risca às recomendações da área técnica da Cotrijal. "Todo o ano, destino 25% da área para o milho. Também faço cobertura especial com leguminosas. O investimento tem compensado. Mesmo sem irrigação, já alcançamos média de 233 sacas/hectare", revelou. 

Mercado – O engenheiro agônomo e mestre em Economia, Leonardo Junho Sologuren, fez uma palestra abordando questões mercadológicas. "No caso do milho, estamos vivendo uma realidade de redução significativa da oferta, que combinado com a melhora da taxa de câmbio e recuperação dos preços em Chicago, estimula a exportação", indicou o especialista, acrescentando que também vislumbra um cenário de recuperação para a cultura da soja. 

"Será um ano de rentabilidade, pois temos cenários com perspectivas interessantes de preço para os produtores rurais. Os momentos atuais são ideais seja para o travamento de preço ou venda de mercadoria", concluiu Sologuren.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Cotrijal


Seminário debate rotação de culturas e manejo conservacionista Cerca de 100 produtores assistiram a palestra técnica Antônio Luis Santi falou sobre a importância da rotação de culturas Leonardo Junho Sologuren fez uma palestra abordando questões mercadológicas Gerente de produção Vegetal da Cotrijal, Juliano Tiago Recalcatti Ciente da importância do tema, Rogério Pacheco, de Carazinho, fez questão de participar do seminário